Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ Campus de Bragança

Alameda Leandro Ribeiro
0
Aldeia
68600000
Bragança
PA
9.134251593212
https://www.campusbraganca.ufpa.br/
campubraga@ufpa.br
08h-12h/14h-18h
Eventos:
  • III Seminário Nacional de Arquivos (Sessão Bragança) Direitos Humanos e(m) Arquivos: memórias, patrimônio cultural e histórias locais , 18 e 19 de junho de 2019, 09h-12h/14h30-20h, Os arquivos representam espaços de memória importantes para a história de um lugar. Em seu interior residem vozes, muitas das vezes destoantes, que trazem à tona um passado complexo e multifacetado, revelando as experiências e percepções de indivíduos e/ou grupos sociais em seus vários loci de sociabilidade. Pela natureza histórica que adquirem com o passar do tempo, somado ao caráter comprobatório da documentação, os arquivos e coleções documentais constituem patrimônio cultural, sendo sua preservação e salvaguarda responsabilidade tanto do poder público quanto da população em geral. Somado a isto, os arquivos ainda podem ser articulados como instrumentos auxiliares para a promoção dos direitos sociais e fundamentais de cada cidadão e/ou de grupos específicos, servindo como munição contestatória em processos e ações que venham de alguma maneira ferir os direitos inalienáveis definidos na Declaração Universal dos Direitos Humanos, que completa 70 anos em 2019. Partindo desta prerrogativa, a terceira edição da bem-sucedida Semana Nacional de Arquivos (Sessão Bragança) traz como tema para o ano de 2019: Direitos Humanos e(m) Arquivos: memórias, patrimônio cultural e histórias locais. O evento ocorrerá entre os dias 18 e 19 de junho de 2019, nas dependências da Universidade Federal do Pará/Campus Universitário de Bragança, e sua programação inclui: conferências, mesas redondas, palestras, simpósios temáticos, exposições e mostras audiovisuais. A Semana Nacional de Arquivos consiste em uma rede de eventos de abrangência nacional realizada por arquivos, entidades detentoras de acervos, centros de memórias e outras instituições culturais em todo o país, que inscrevem suas programações locais visando fomentar o diálogo e compartilhar suas experiências. Promovida pelo Arquivo Nacional em conjunto com a Fundação Casa de Rui Barbosa, seu objetivo principal é aproximar essas instituições da sociedade e divulgar os valiosos trabalhos nelas desenvolvidos. A sessão Bragança é organizada pela Faculdade de História (FAHIST), através do Laboratório de História e Patrimônio Cultural na Amazônia (LABHIST), do Grupo de Estudos e Pesquisas Interculturais Pará-Maranhão (GEIPAM) e do Projeto Preservação documental e organização do acervo do Fórum de Bragança (PRODOC), os quais estão envolvidos na elaboração de curso de pós-graduação em História e Patrimônio Cultural na Amazônia. Os professores pesquisadores envolvidos na proposição atuam em dois programas de pós-graduação da Universidade Federal do Pará, a saber: Programa de Pós-graduação em Ensino de História (PROFHISTÓRIA) e Programa de Pós-graduação em Linguagens e Saberes na Amazônia. Este evento é uma oportunidade para conjuntamente construirmos conhecimentos acerca da história, cultura e memória de uma área que alguns convencionaram chamar de “Amazônia Atlântica”, considerando as dinâmicas próprias da região nordeste do Pará, cuja história é registrada desde a Capitania do Caeté, depois vila e cidade de Bragança. A região bragantina tem um passado que liga muitos grupos humanos e rica dinâmica sócio-cultural, em uma espacialidade que cobria o entorno dos rios Caeté, Quatipuru, Gurupi e Turiaçu, nos caminhos que levavam ao Maranhão e, de outro lado, até a região do rio Guamá. O evento reunirá pesquisadores interessados nas construções dessas histórias, memórias e saberes e objetivamos que desse esforço resulte a ampliação de nossas produções tanto no campo acadêmico (com a publicação dos resultados em revista indexada) quanto no ensino de história. Visamos à valorização de nossas múltiplas matrizes culturais formadoras e o evento vem justamente oportunizar o debate sobre a constituição de acervos para a produção de histórias locais que recoloquem sujeitos e cenários sob novas perspectivas de análise, inclusive na formação de professores e nas aulas da educação básica. O evento conta com o apoio da Universidade Federal do Pará através da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação (PROPESP), da Pró-Reitoria de Extensão (PROEX) e da Pró-Reitoria de Administração (PROAD), bem como da Coordenação do Campus Universitário de Bragança e do Programa de Pós-Graduação em Linguagens e Saberes na Amazônia (PPLSA). Conta também com o apoio do Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJPA); do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), por meio de sua Superintendência Regional em Belém; do Programa de Pós-Graduação em Ensino de História; Programa de Pós-Graduação em História Social da Amazônia; do Museu Paraense Emílio Goeldi; Programa de Pós-Graduação em História da Universidade de Brasília; do Centro Acadêmico de História de Bragança (CAHIST Verônica Tembé) e do Centro Acadêmico de História de Capanema (CAHIST Augusto Gomes Rodrigues). Esta edição pretende reunir estudantes da graduação e pós-graduação de Universidades públicas e privadas, docentes e pesquisadores, professores da Educação Básica, servidores de instituições arquivísticas e as comunidades locais, a fim de debater sobre a importância dos arquivos para a construção da memória e sua relevância para a compreensão histórica do meio social ao qual estamos inseridos. Pretende-se fomentar, também, reflexões sobre os processos de preservação dos acervos arquivísticos e sobre o papel social do pesquisador na efetivação e manutenção das políticas públicas de salvaguarda para este patrimônio cultural, seja em âmbito local, regional e/ou nacional. Pretendemos, também, socializar os resultados das atividades desenvolvidas ao longo do ano anterior, visibilizando as ações suscitadas pela assinatura dos convênios TJPA-UFPA e FUNAI-UFPA, os quais foram formalizados durante a I Semana Nacional de Arquivos, ocorrida em junho de 2017. Esta iniciativa mostra-se relevante por possibilitar a inserção dos arquivos na sociedade e viabilizá-los como instrumentos facilitadores do acesso à informação, de modo a apoiar o cidadão na defesa de seus direitos e a incentivar a produção de conhecimento científico e cultural – uma das funções do arquivo. Ademais, a Semana enfatiza a potencialidade dos arquivos como equipamentos culturais, aumentando sua visibilidade e divulgando os valiosos trabalhos desenvolvidos nesses espaços, entre outros. Os certificados serão emitidos pelo Laboratório de História e Patrimônio Cultural na Amazônia (LABHIST), com carga horária total de 20h. Os inscritos para apresentação de trabalhos nos simpósios temáticos receberão a respectiva certificação de participação.
Fim do conteúdo da página